Cobertura do Quarto dia do festival In-Edit (06/05)

Posted by | maio 8, 2013 | Música
—–A noite fria de segunda-feira não foi um obstáculo para os espectadores do In-Edit Brasil. Um público numeroso compareceu ao CINESESC para assistir às duas sessões do festival. Às 19h rolou a sessão de From the Steppes to the City e, às 21h, Turning. Antony and the Johnsons.
—–From the Steppes to the City (Marc Tiley, Sophie Lascelles e Tim Pearce) é uma espécie de road-movie que tem os membros do Anda Union como protagonistas. O Anda Union é um grupo mongol cujo principal trabalho reside em garimpar pérolas da música tradicional da Mongólia, resgatando-as e criando novos arranjos. O documentário mostra exatamente essa atividade do grupo. Vemos as viagens do Anda Union às cidades natais de alguns de seus integrantes, onde acontecem reuniões familiares repletas de comida, bebida e música. Entramos em contato, portanto, não só com a música mongol “de raiz”, mas também com diversas tradições que se mantém vivas em distantes regiões das pradarias da Mongólia. Vemos no documentário, também, performances na íntegra de músicas do Anda Union, de um concerto provavelmente posterior à viagem, em que se mostra o fruto do contato do grupo com a música regional. Melodias e timbres diferentes, como o tradicional canto difônico (canto com a garganta) ou o Morin Khuur, instrumento de duas cordas considerado símbolo da música mongol, estão presentes em From the Steppes to The City, um interessantíssimo documentário.
—–Turning. Antony and the Johnsons é o registro da construção do espetáculo Turning, resultado da união do grupo Antony and the Johnsons ao videoartista Charles Atlas. A temática do espetáculo perpassa questões de gênero, identidade e sexualidade. Turning consiste no show liderado por Antony, com músicas de arranjo orquestrado do álbum I am a bird now, e com a participação de treze transexuais que permanecem em um palco giratório durante as canções. Filmadas de diversos ângulos, as imagens das modelos são projetadas em uma tela e, através de fusões e outras ferramentas de estilo, Atlas compõe belas trilhas visuais que adicionam um interessante aspecto à fruição sensória da música de Antony. Registros do backstage do espetáculo são justapostos às canções do show e as protagonistas de Turning revelam, em depoimentos, detalhes de suas experiências pessoais. De diferentes idades e culturas, as participantes do espetáculo versam sobre questões prementes relativas à identidade sexual, gênero e a forma que se veem representadas no mundo.Turning. Antony and the Johnsons será exibido novamente hoje, às 19h no espaço da Matilha Cultural.
—–Para além de Turning, fica a dica para assistir os aqui já comentados A Batalha do Passinho (17h) e Jards (19h), com sessão apresentada por Eryk Rocha, no Cine Olido. No MIS-SP há o registro da turnê europeia de Renato Borghetti em Renato Borghetti Quarteto – Europa às 17h30 e, às 19h, o filme Get What You Want, sobre a história do festival In-Edit, acompanhado de palestra transmídia. Até lá!
Texto e cobertura por Gabriel Tonelo.

Add a comment

*Please complete all fields correctly

Related Posts

Sucesso do funk 2022
Posted by nptech | 13 maio 2022
“Desenrola, bate e joga de ladin”. Provavelmente você sabe a coreografia dessa dança, não é mesmo? O funk 2022 está...
marina sena
Posted by deezer | 18 janeiro 2022
Marina Sena é o nome que entrou recentemente para a nova geração da música pop brasileira. A cantora de voz...
TWICE
Posted by deezer | 18 janeiro 2022
Falar em grupo feminino coreano é falar de Twice! As nove integrantes foram unidas pela JYP Entertainment em 2015 e...