Marchinhas de Carnaval: confira as melhores e mais animadas

Posted by Deezer | dezembro 22, 2021 | Música
marchinhas de carnaval
marchinhas de carnaval

Com fantasia improvisada, glitter e serpentina, cheguei para relembrar com você as mais famosas marchinhas de Carnaval!

Esse feriado, sem dúvidas, é uma tradição muito importante na cultura brasileira, não é? 

Essa festa é tão esperada que muita gente usa como ditado, ou até mesmo lema, que o ano só começa mesmo depois do Carnaval.

E se em fevereiro tem Carnaval, no meu app tem todas as marchinhas de Carnaval para curtir no maior estilo, seja você do time bloco de rua, samba na avenida, baile de máscaras ou a pessoa que aproveita o feriadão para ficar de pernas para o ar, descansando.

Vem entrar na folia e ouvir novamente as canções que há décadas fazem do Carnaval a grande festa do ano.

R$1,80 NOS DOIS PRIMEIROS MESES? É #SÓNADEEZER!

Marchinhas de Carnaval: como começaram no Brasil?

Você já deve ter ouvido que o Brasil é o país do Carnaval, mas você sabe de onde surgiu essa tradição de fantasias, festas e de dançar ao som das marchinhas de Carnaval? 

Pois agora vou te contar de onde vem essa tradição e qual foi a primeira marchinha de Carnaval lançada. Vamos lá?

Uma breve história sobre as marchinhas

As marchinhas de Carnaval são uma tradição antiga, que começou no início do século XX. Nesse início, o Brasil ainda importava as marchinhas portuguesas, como a canção “Vassourinha e A Baratinha”, que na época se tornou um sucesso popular.

Inicialmente, as marchinhas de Carnaval tinham como característica um ritmo mais calmo. Só depois da metade do século XX que elas começaram a ficar mais aceleradas e dançantes.

Essa mudança se deu também pela influência da música norte-americana, como as bandas de Jazz.

Um exemplo dessa mudança de ritmo das marchinhas aconteceu nas músicas “Eu vi” e “Zizinha”, de 1926, do compositor José Francisco de Freitas, o Freitinhas.

Com o passar do tempo, as letras das marchinhas de Carnaval foram se tornando cada vez mais aceleradas, com letras de duplo sentido e melodias simples, fáceis de decorar e sair cantando pelas ruas, bailes e blocos.

Elas eram extremamente populares nos anos 1920 e 1950, no Rio de Janeiro, e todos os anos os artistas lançavam suas marchinhas.

Mas a primeira marchinha brasileira da história foi composta muito antes disso e foi escrita por uma mulher!

Chiquinha Gonzaga, em 1899, escreveu a primeira e uma das maiores marchinhas de Carnaval da história, a canção “Abre Alas!”.

Essas canções se tornaram grandes símbolos do Carnaval e foram interpretadas por grandes nomes da MPB, como Carmen Miranda, Gal Costa, Tom Jobim, Emilinha Borba, Chico Buarque e muitos outros.

Na década de 1960, começaram a surgir os sambas-enredo e, por conta disso, as marchinhas de Carnaval perderam um pouco a popularidade.

Mas isso não significa que perderam a relevância. Até hoje, os bloquinhos de ruas e festas tocam as grandes marchinhas de Carnaval e não deixam ninguém parado.

Marchinhas de Carnaval polêmicas

Existem marchinhas de Carnaval antigas que são grandes clássicos e isso é indiscutível. Mas, apesar de terem sido muito importantes e marcantes na década em que foram lançadas, hoje, quando analisamos as letras, damos de cara com diversas polêmicas.

Muitas letras já não cabem no contexto em que vivemos, por conta do reforço de estereótipos, machismo, lgbtfobia e outras questões que estimulam preconceito e intolerância.

Para trazer essa reflexão, fiz uma lista das marchinhas de carnaval com letras polêmicas para você ouvir novamente com um olhar até mesmo mais crítico. Vem comigo.

Cabeleira do Zezé

A música “Cabeleira do Zezé”, do compositor João Roberto Kelly, é uma das mais famosas marchinhas de Carnaval antigas.

Segundo a história da canção, ela foi escrita para um garçom de cabelos compridos que atendia João Roberto e seus amigos em um bar carioca que frequentavam.

A música foi feita ali mesmo, em um bar do Leme, e virou um clássico da festa de Carnaval.

Mas quem ouve hoje pode notar algo bastante polêmico, que é a letra que questiona a sexualidade do Zezé pelo fato dele ter cabelo comprido.

É uma letra que reforça estereótipos de gênero, é homofóbica e até mesmo uma forma de ditar o que são “coisas de homem e de mulher”, como na frase “Corta o cabelo dele!” e no próprio refrão, como se homens não pudessem ter cabelos compridos.

O que você acha dessa marchinha, ela ainda faz sentido no século XXI? Se você não lembra da música, ouça no meu app para relembrar.

Maria Sapatão

A canção “Maria Sapatão” é uma marchinha de Carnaval com uma letra bastante polêmica também, por conta do refrão. 

Ela foi composta por João Kelly por encomenda do apresentador Chacrinha.

Quando ela foi composta, a ideia de Chacrinha era fazer uma canção de Carnaval divertida.

Entretanto, a frase principal da letra abre espaço para várias discussões de gênero e sobre o que se entendia, na época, por ser homem e ser mulher.

Dá para ver que a discussão sobre as diferenças entre orientação sexual e gênero não eram nem uma questão na época.

O que você acha dessa marchinha de Carnaval? Ela estaria cancelada na sua festa? 

No player abaixo, você pode ouvir uma versão diferente na voz da funkeira Valesca Popozuda, que faz parte do projeto Pancadão das Marchinhas.

O Teu Cabelo Não Nega

A marchinha de carnaval “O Teu Cabelo Não Nega”, do compositor Lamartine Babo, traz o seguinte trecho:

“O teu cabelo não nega mulata

Porque és mulata na cor

Mas como a cor não pega mulata

Mulata quero seu amor”

Só pela leitura dessa parte da música, você já pode ter notado a polêmica, mas eu trouxe também aqui uma explicação de uma voz muito importante para contextualizar os problemas dessa música, que é da filósofa, escritora e ativista negra Djamila Ribeiro.

Em 2017, Djamila Ribeiro escreveu uma coluna para a revista Carta Capital, com o título “O teu discurso não nega, racista”, no qual faz uma crítica sobre as marchinhas de Carnaval que muitas pessoas ainda persistem em defender, pela justificativa de ser uma tradição.

No texto, a ativista também fala dessa música de Lamartine Babo, que tem vários pontos problemáticos.

Um deles é a referência ao cabelo negro durante toda a letra feito de forma pejorativa.

Mais adiante, temos a frase que relaciona o amor pela moça só ser possível e desejado pelo fato “da cor não pegar”.

Além desses trechos racistas, temos o termo “mulata” repetido diversas vezes.

Essa palavra, de origem espanhola, vem do termo “mula” ou “mulo”, como uma referência ao que é híbrido em relação ao cruzamento de espécies.

As mulas são animais que nascem do cruzamento de éguas com jumentos ou dos cavalos com as jumentas.

Por isso, o termo “mulata” é extremamente pejorativo, que indica mestiçagem ou uma mistura imprópria, como diz a própria Djamila em sua análise da marchinha.

Se você deseja ler mais sobre os problemas por trás dessa marchinha, indico sempre a leitura dos textos da ativista Djamila Ribeiro.

Marchinhas de Carnaval famosas: relembre as principais

marchinhas de carnaval famosas

Confira as principais marchinhas de Carnaval que não podem faltar na festa da folia:

Ó Abre Alas

Para abrir alas para as melhores marchinhas de Carnaval, não poderia deixar de fora a primeira marchinha da história, de Chiquinha Gonzaga.

Essa canção foi escrita em 1899 para o chamado cordão carnavalesco Rosa de Ouro e, desde então, é uma das músicas que não pode faltar nessa festa. 

Com essa canção, o Rosa de Ouro foi o vencedor do desfile do Carnaval daquele ano no Rio de Janeiro.

“Ó Abre Alas, que eu quero passar”

Cachaça Não É Água

A marchinha de carnaval “Cachaça não é água”, de Marinósio Trigueiros Filho, anima qualquer bloquinho. Ela foi composta na década de 1950 em homenagem aos foliões que gostam de beber aquela famosa água que passarinho não bebe.

Fica o aviso, cachaça não é água, não!

Mamãe Eu Quero

Mamãe, eu quero, mamãe, eu quero… mamãe, eu quero mamar! 🍼

Essa é uma das marchinhas de Carnaval mais famosas de todos os tempos, pela voz inconfundível de Carmen Miranda.

Além de ser um hit no Brasil, a música também ficou famosa em outros países após Carmen Miranda cantar a canção no filme Serenata Tropical (1940).

Ouça no meu player abaixo!

A Pipa do Vovô

Durante os anos 80, era bem comum que algumas emissoras lançassem vinhetas de Carnaval com músicas inéditas. A “Pipa do Vovô” é um dos exemplos mais famosos.

A canção foi composta pela dupla Ruth Amaral e Manoel Ferreira, mas foi na voz do apresentador Silvio Santos que ela ficou popular no país todo.

Allah-La Ô

Essa música combina bem com o nosso clima tropical que acompanha os foliões durante as festas, no auge do verão brasileiro.

“Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô, mas que calor ô ô ô ô ô ô”

Essa composição foi feita nos anos 1940, por Haroldo Lobo e Antônio Nássara e a brincadeira da letra é justamente fazer referência ao calor carioca, que mais parece uma travessia pelo deserto do Saara, como diz a letra.

Ouça novamente esse clássico do Carnaval brasileiro.

Não Existe Pecado ao Sul do Equador

O Chico Buarque, ícone da MPB, também já fez sua contribuição para as festas de Carnaval. Em 1990, ele lançou a marchinha “Não existe pecado ao Sul do Equador”, composição feita em parceria com Ruy Guerra. 

Você lembra dessa marchinha?

Balancê

“Entra na roda, morena, para ver. Ó balancê, balancê”. Quem não lembra dessa marchinha tão famosa? A canção ficou muito conhecida na voz de Gal Costa e até hoje embala os bloquinhos de rua e os bailes.

Confira as melhores playlists de Carnaval

marchinhas de carnaval melhores playlists

Quer entrar no clima de Carnaval ou fazer um Carnaval fora de época? Então, confira essas dicas de playlists para curtir a festa.

Bloquinho

O Carnaval é para todas as idades! Nessa seleção de marchinhas de carnaval infantil, as crianças também entram na dança e na folia. 

Bloquinho

O Carnaval é para todas as idades! Nessa seleção de marchinhas de carnaval infantil, as crianças também entram na dança e na folia. 

Carnaval do Brasil

O Carnaval da Bahia e do Rio de Janeiro são muito famosos e únicos, mas a verdade é que o Brasil inteiro entra em festa e tem música boa em todos os cantos do país! 

Nessa minha seleção, separei as músicas que fazem o Carnaval ser a maior festa de todas, do Oiapoque ao Chuí.

Sargento Pimenta

Beatles e Carnaval é uma mistura que dá muito certo, sim! Na seleção de músicas Sargento Pimenta você curte os clássicos dos meninos de Liverpool em versões batucadas e dançantes que só o Brasil tem. 

Confira e leve um dos blocos mais famosos do país para dentro de sua casa.

Caia na folia com a Deezer

Curtiu essa seleção das melhores marchinhas de Carnaval? Pois eu adorei relembrar os clássicos de todas as épocas com você. 

Agora, é hora de esperar o Carnaval chegar e já pensar na fantasia, no glitter e em qual bloco você vai sair! Até a próxima, foliões!

SE TE FALTAM PALAVRAS, “DIZ COM DEEZER”

Related Posts

Posted by deezer | 29 novembro 2022
Muitos de nós gostamos de apreciar uma boa música, mas há muito mais neste universo do que se encontra no...
Posted by deezer | 28 novembro 2022
Antes de mais nada, saiba que neste texto eu tomei a licença poética de chamar o Livro dos Recordes de...
Posted by deezer | 25 novembro 2022
Que tal relembrar clássicos e curtir os melhores musicais de todos os tempos? Nos palcos do teatro ou nas telinhas...