Terça Temática #14 – Trilhas de Séries

Posted by clarissa | setembro 3, 2013 | Música

A Terça Temática de hoje chegou linda pra falar de algo que todo mundo ama: séries de TV. Começando com uma playlist com as aberturas mais memoráveis de todos os tempos – você lembra todas?

 

 

Mas se é pra falar de trilhas sonoras de seriados, a gente escolheu as melhores de todos os tempos. Vem:

 

10. True Blood – vampiros no sul dos Estados Unidos, uma cidade quase rural que se vê às voltas com lobisomens, fadas e metamorfos. A trilha é praticamente composta por country e folk, sempre com um toque diferente – assim como a série. A música de abertura é uma das melhores de todas.

 

 

9. Supernatural – a série já tinha duas ótimas aquisições (Sam e Dean) mas mesmo investiu pra fazer uma trilha boa pra caramba, pra deixar todo fã com um sorriso. Menos quando toca “Carry On Wayward Son”, porque daí é impossível não chorar.

 

 

8. Veronica Mars – não é só de “We Used To Be Friends” que a série é feita, nem de longe. Com uma centena de música boa só na primeira temporada, a série tem uma trilha que acompanhou bem as investigações e cliques fotográficos.

 

 

7. Grey’s Anatomy – série linda e maravilhosa que já dura 9 anos no ar, rumo à décima temporada que estréia ainda em 2013. A trilha segue a linha “todo mundo gosta”, com um início mais animado de quando os médicos eram novinhos e ficando mais adulta com o passar do tempo. Quem não ama Likke Li, Peter Bjorn & John e Feist?

 

 

6. Friday Night Lights – a série teve poucos mas fiéis fãs e conseguiu inovar pra caramba na estética visual. Claro que a trilha sonora não ficou pra trás, com Tony Lucca, Spoon, Iron and Wine, e, óbvio, Explosions in the Sky, a maior marca musical do seriado.

 

 

5. The L Word – a primeira grande série lésbica tem em sua trilha sonora um de seus maiores trunfos. Vai desde clássicos femininos como Le Tigre, Sleater-Kinney e Tegan and Sara até novos nomes como Kinnie Starr. No final, a atriz Leisha Hailey (Alice) até montou uma banda chamada Uh Huh Her.

 

 

4. Gossip Girl – a série que todo mundo mais ama odiar foi ficando cada vez pior com o passar do tempo, mas pelo menos a trilha sonora conseguiu se salvar (mesmo que a gente sempre pense primeiro em músicas da primeira temporada, tipo “With Me”, que embalou o sexo na limousine mais famoso da TV!).

 

 

3. Gilmore Girls – não adianta, é uma das melhores séries de todos os tempos e a gente tava sempre torcendo pra melhor amiga da Rory que precisava esconder todos os seus discos (ótimos por sinal) embaixo de uma tábua solta pra mãe dela não encontrar.

 

 

2. The O.C. – a série trouxe várias bandas de indierock (todo mundo sabe o amor de Seth por Death Cab For Cutie) pro holofote e teve participação de muitas nos episódios. E bom, não tem fã que consiga esquecer aqueles momentos incríveis com “Hallelujah”, “Dice”, “Champagne Supernova”. (Ó, tem vários álbuns!)

 

 

1. House – com uma trilha sonora tão afiada quanto o próprio House, tem músicas que nos remetem na hora ao seriado. Desde “My Body Is A Cage” em uma cena foda da última temporada ou “You Can’t Always Get What You Want” que apareceu aqui e ali pra nos quebrar o coração.

 

 

BONUS: Breaking Bad – talvez a melhor série da atualidade, Breaking Bad traz uma das melhores trilhas sonoras de nossa lista – mesmo sem o glamour das concorrentes. Por utilizar a trilha em menor frequência durante as cenas, às vezes as ótimas escolhas musicais passam batidas pelo grande público. Mas aqui vocês vão entender o nível da coisa: eclética mas de puro bom gosto.

 

Add a comment

*Please complete all fields correctly

Related Posts

bossa-nova
Posted by gsoutello | 26 setembro 2021
A Bossa Nova, depois do Samba, é provavelmente o estilo musical brasileiro mais conhecido no exterior. Criado no final dos...
Posted by mdantas | 17 setembro 2021
Além de criar sequências de músicas que só você sabe combinar, as Playlists são uma forma de juntar as favoritas...
podcast-feministas
Posted by gsoutello | 15 setembro 2021
Olha, não é por nada não, mas arrisco dizer que realmente chegamos lá. Estamos no ano do podcast e muito...